*

*
*

domingo, 30 de novembro de 2014

Movimento de Mulheres Olga Benario realiza 1º encontro estadual no Rio de Janeiro

DSC_0950EDO Movimento de Mulheres Olga Benario realizou no último dia 29 de novembro seu 1º Encontro Estadual no Rio de Janeiro. O encontro, que teve como tema “Viver sem violência é um direito das mulheres”, começou com um debate sobre violência que contou com Izabel Solyszko, do Centro de Referência de Mulheres da Maré, Raphaela Mendes, da coordenação nacional do Olga e Luciene Lacerda, do Instituto Búzios.
Todas afirmaram que o problema da violência faz parte do sistema capitalista e patriarcal e que as mulheres precisam lutar pela transformação profunda da sociedade. Foram relatados pelas participantes do encontro vários tipos de violência contra as mulheres.
Na parte da tarde os grupos debateram a questão da mulher negra, gênero e sexualidade, direitos das mulheres à saúde, à cidade e ao trabalho digno. Ao final foi eleita a coordenação estadual do movimento, que irá organizar a luta das mulheres nos próximos anos.
O evento foi encerrado com uma confraternização e muita boa música popular ao vivo.
Todas saíram com a determinação de continuar realizando debates, encontros e atos com regularidade, pois as mulheres brasileiras estão querendo se organizar e lutar.
Gabriela Gonçalves, Rio de Janeiro

sábado, 29 de novembro de 2014

Moon of Alabama / Obama & Al-Qaeda

«AP: Mercenaries nós que trabalhamos com a Al-Qaeda nenhum escândalo - Just A" dificuldade " | Principal
29 de novembro de 2014

Obama falsamente de Direitos Humanos não se aplica à formação Mercenary síria

Enterrado para baixo em um relatório sobre o Pentágono planeja treinar mais mercenários para lutar contra a Síria encontramos esta declaração de intenção por parte da administração Obama para (mais uma vez) quebrar a lei:
O plano de rastreio militares se reuniram após a administração Obama determinou que o programa de treinamento para os sírios não estaria sujeita ao que é conhecido como as leis Leahy, que normalmente regem a assistência de segurança dos EUA para as forças estrangeiras. De acordo com essas leis, um pequeno escritório no Departamento de Estado trabalha com embaixadas norte-americanas no exterior para garantir que os beneficiários de assistência de segurança do Departamento de Defesa do Estado ou não estão ligados a grandes abusos dos direitos humanos.
...
Porque os rebeldes sírios não fará parte de uma força patrocinada pelo Estado, as leis não se aplicam, segundo autoridades norte-americanas.
Espere um segundo. O Congresso norte-americano destinou US $ 500 milhões para treinar, equipar e pagar esses lutadores. Os militares dos EUA vai fazer o treinamento. E a administração Obama afirma que estes não são "forças patrocinada pelo Estado"? É os EUA já não é um Estado-nação?
Além de que a lei Leahy , conforme codificado para o Pentágono na Seção 8057 do projeto de lei 2.014 Omnibus não diz nada sobre "forças patrocinada pelo Estado":
(1) Nenhum dos fundos disponibilizados por esta Lei pode ser utilizado para qualquer tipo de formação, equipamento ou outro tipo de assistência para os membros de uma unidade de uma força de segurança estrangeira se o Secretário de Defesa tiver informações credíveis de que a unidade tenha cometido um grave violação dos direitos humanos. (2) O Secretário de Defesa, em consulta com o Secretário de Estado, devem assegurar que, antes de uma decisão de fornecer qualquer tipo de formação, equipamento ou outro tipo de assistência para uma unidade de um total consideração força de segurança estrangeira é dado a qualquer informação credível disponível para o Departamento de Estado relativa a violações dos direitos humanos por essa unidade.
Não há nada sobre na parte Pentágono relevante da lei Leahy "patrocinado estado". Será que estes treinados ser "estrangeiro"? Sim. Será que vão ser "forças de segurança"? Indiscutivelmente, porque provavelmente eles vão trazer mais insegurança para a Síria de segurança. Mas eles terão armas, será organizado em unidades e vai lutar. Isso parece se encaixar a expressão "força de segurança estrangeira".
Além disso, as partes da lei Pentágono Leahy diferem das partes (Seção 620M da Lei de Assistência Internacional, de 1961 (com as alterações introduzidas mais recentemente, em janeiro de 2014)) relevantes para a Secretaria de Estado patrocinado formação que explicitamente se refere a uma "unidade das forças de segurança estrangeira país ".
Quando o Congresso codificou a lei, decidiu limitar a versão do Departamento de Estado para "forças de segurança de um país estrangeiro". A versão do Pentágono limitou-se a "uma força de segurança estrangeira", que é um quadro mais amplo e não é necessário as forças para ser relacionado para um país estrangeiro.
A ofuscação administração Obama de relevância Leahy está com defeito em dois aspectos. Se as restrições Leahy foram realmente para "forças patrocinada pelo Estado" do que o patrocínio estatal pelos Estados Unidos deve contar também. Mas a lei Leahy tão relevante não se restringe a "forças patrocinada pelo Estado". Aplica-se a "uma força de segurança estrangeira", que qualquer grupo sírio treinado pelo Pentágono vai realmente ser. (Embora novamente pode-se argumentar corretamente que essas forças vão trazer mais insegurança para a Síria e, assim, há "forças de segurança", mas a administração Obama não faz essa afirmação.)
Todos os grupos a CIA treinados e equipados para lutar contra a Síria têm grandes cometeram violações dos direitos humanos. Mas a lei Leahy não se aplica à CIA. Agora, como o Pentágono assume a formação de tais grupos a lei Leahy torna-se relevante. Eu desafio qualquer um a encontrar um grupo de insurgentes sírios que lutam contra o governo sírio, que não tem indiscriminadamente bombardeou civis e não cometeram outras grandes violações dos direitos humanos. Não há nenhum.
A administração Obama quer evitar a aplicabilidade da lei Leahy porque a aplicação que iria deixar o Pentágono, sem quaisquer potenciais recrutas para treinar como mercenários contra o governo sírio. Ele decidiu quebrar a lei usando uma interpretação que, na verdade, não abrangidos pela redacção leis. Tem, portanto, decidiu quebrar a lei.
Postado por b em 29 de novembro de 2014 em 12:32 | Link permanente
Comentários
Eu oro para que Deus existe e que aqueles que têm ajudado na matança de inocentes terão que responder por suas indiscrições.
Postado por: Lanny V Stricherz | 29 de novembro de 2014 13:13:17 | 1
"... O governo dos Estados Unidos (através do Departamento de Estado) implementa a lei, por meio [10] um processo conhecido como" Leahy habilitação ". [10] A unidade de potencial beneficiário do auxílio é um processo conhecido como" Leahy veto. "A ajuda prospectivo unidade do destinatário é procurado por evidências de comissão passado de graves violações de direitos humanos O Departamento de Estado tem interpretado "graves violações de direitos humanos" para significar um pequeno número dos atos mais hediondos: homicídio de tortura não-combatentes, "desaparecendo" as pessoas, e estupro como uma tática ... "
https://en.wikipedia.org/wiki/Leahy_Law#Text_of_the_laws
Então eu me pergunto como que processo de habilitação foi. A Síria é uma zona de combate ativos e mais de violações provavelmente tenha havido direitos humanos cometidas por esses grupos mercenários. Eu quero saber quem estava no chão para o departamento de estado. vetar esses grupos rebeldes e entrevistando os civis.
Postado por: realmente | 29 de novembro de 2014 14:41:44 | 2
USNATO: Regime Changes 'R' Us ...
Estado Islâmico (Isis) lançou um ataque contra a cidade de fronteira síria de Kobani da Turquia, pela primeira vez, um funcionário curdo e ativistas disseram. O assalto começou com um ataque suicida por um homem-bomba em um veículo blindado na passagem de fronteira entre Kobani e Turquia, o Observatório Sírio para os Direitos Humanos (SOHR), um grupo de oposição baseada no Reino Unido, disse.
Nawaf Khalil, um porta-voz do partido curdo União Democrática da Síria, disse que Isis "usado para atacar a cidade de três lados", mas "hoje em dia, eles estão atacando a partir de quatro lados".
http://www.theguardian.com/world/2014/nov/29/isis-attack-kobani-inside-turkey-first-time
USNATO, tenho certeza, está chocado, chocado ...
Postado por: chuckvw | 29 de novembro de 2014 14:43:25 | 3
não se preocupar. todos esses grupos internacionais - Human Rights Watch, a OSCE, a Anistia Internacional e etc. são em dívida com os EUA e só estão focados em leis que estão sendo quebrado quando alguém, em seguida, os EUA estão a quebrá-los ..
Postado por: james | 29 de novembro de 2014 03:07:38 | 4
Embora tardia, a lei habilitação Leahy foi uma resposta à atividade do esquadrão da morte da América Latina a partir da era Reagan. Demorou até a década de 1990, antes da extensão total do envolvimento oficial nestes programas de homicídio notórios poderia ser reconhecido. Durante a década de 1980, a administração Reagan negou veementemente qualquer envolvimento que seja, sabendo que haveria uma reação política severa de eleitores americanos revoltados. Tempos obviamente mudaram. A lei Leahy é agora considerado um aborrecimento anacrônico. O Pentágono no Iraque se vangloriou de instituir uma "Opção Salvador" para promover a luta sectária. O povo americano tem sido tão anestesiada pelo 9-11 psy-op que aparentemente perderam a capacidade de cuidar.
Última peça de Andre Vltchek - uma visão do nível do solo de eventos a partir da borda do Curdistão iraquiano - é acima em CounterPunch e outros locais e é uma verdadeira revelação.
Postado por: jayc | 29 de novembro de 2014 15:41:06 | 5
Os terroristas de armas dos EUA para derrubar um membro legítimo da Organização das Nações Unidas, em violação da Carta da ONU. Muito bem, a Síria eo Irã deve armar esses grupos a respeito dos Estados Unidos como terroristas Hezbollah e Hamas. Quero dizer braços reais, Shoulder disparou mísseis anti-aviões, de fato, as melhores armas que tem e em quantidades maciças. Os EUA / Israel são Estados párias que só entendem o uso da força, muito bem dar-lhes dois canos.
Postado por: lei harry | 29 de novembro de 2014 16:08:35 | 6
questionário habilitação cia
1. quer matar? Sim
2. você vai matar quem nós dizer-lhe para? Sim
3. que rifle que você quer? A um brilhante
4. aqui suas balas e alguns $ 100s recém-impressas agora obter em que caminhão.
cia formação 101
Postado por: jo6pac | 29 de novembro de 2014 16:38:15 | 7
Você sabe, eu estou surpreso que IS não tenha feito um acordo com SA, Turquia, Israel e os EUA ainda.
Algo ao longo das linhas de:
IS deixa curdos sozinho (SA ea Turquia não contente com isso, porém, mas eles poderiam viver com ele).
IS é permitido manter todo o território que conquistou (e talvez um pouco mais), contra-ataques do Governo iraquiano seria interrompido.
IS é, então, livre para se concentrar sobre a Síria, com o apoio total dos EUA (etc) muito mais armas e dinheiro e todo o resto ('back on track').
Israel limpa as áreas do sul da Síria para deixar é através de atacar Damasco, com apoio aéreo e de artilharia, permitindo, assim, a 2 ataque vertentes.
Turquia (e secretamente os EUA) permite rasgar sua força aérea, artilharia, etc nas áreas do norte ao benefício é.
Então, eu estou um pouco surpreso que algo como isso ainda não aconteceu. É preciso saber que os EUA (etc) seria muito feliz para que eles tenham todas as áreas sunitas no Iraque e poderia ser convencido a deixá-los sozinhos lá em troca de tirar a Síria.
Ou será que é suspeito (provavelmente com razão) que, depois de tirar a Síria (e cometer genocídio em massa), que será esperado para entregá-lo mansamente sobre a Turquia depois? Mas, mesmo que isso fosse verdade, É ainda seria o beneficiário e poderia facilmente tornar-se forte o suficiente para bloquear a Turquia, ou até mesmo cortar um outro negócio com eles para (digamos) exterminar os curdos em troca de manter Síria.
Ou este é apenas um problema em que as negociações nesse sentido estão actualmente em curso e que ainda não terminou? Porque essa parece ser a única estratégia lógica para os EUA / Turquia / SA / Israel / é seguir dado todos os seus desejos diferentes.
Ou existem diferentes correntes acontecendo? One (baixa probabilidade) suspeita que tenho é que a pressa do exército norte-americano a se envolver no Iraque de novo é um jogo duplo, de snooker os políticos norte-americanos que querem um confronto militar com a Rússia. Ao receber muito envolvidos no Iraque eles cabeça essa possibilidade off.
Porque o que parece acontecer há direito fora da zona do crepúsculo no momento. Mesmo tendo em conta o normal "ga-ga 'pensamento terra ea incompetência insano de costume, este é um CF de proporções monumentais.
Postado por: Lisa FOS | 29 nov 2014 17:58:18 | 8
2
Os EUA tem sido apoiado e encorajado "assassinato de tortura não-combatentes," desaparecendo "as pessoas, e estupro como uma tática" desde Reagan, não, na verdade, uma vez que Zbigniew Brzezinski sussurrou o primeiro Governo profundo Jihad no ouvido de Carter: "Derrubar o Afeganistão Presidente ", sem esperar, na verdade, uma vez que Richard Helmes sussurrou no ouvido de Johnson:" Assassinar Ngo Dinh Diem ", sem esperar, uma vez que Kermit Roosevelt sussurrou no ouvido de Eisenhower:" assassinar o presidente Mohammad Mosaddegh ", sem esperar, uma vez que John Foster Dulles sussurrou no ouvido de Eisenhower: "assassinar o presidente Jacobo Arbenz" ... Eu fico tão confuso ...
Por que MoA ficar chateado com essas trivialidades como John McCain armar e financiar Al Nusra e I $ I $?
A CIA é um Exército Penal Internacional, e tem sido por toda a sua existência. Wake up TF.
Postado por: ChipNikh | 29 nov 2014 18:14:16 | 9

Procurando Soros uma revolução colorida no Quirguistão?

Procurando Soros uma revolução colorida no Quirguistão?

O milionário famoso e filantropo George Soros visitou na semana passada o Quirguistão, escreveu última quinta-feira Nezavissimaïa jornal russo Gazeta.

A visita de uma personalidade que não podia ser ignorada nem para suportes de uma orientação pró-ocidental no país ou seus rivais. Os representantes mais ativos do primeiro grupo tentou por todos os meios para atender Soros. O último protestou sua visita ele está considerando patrocinar uma "revolução colorida" no Quirguistão.

Lá, George Soros é demonizado e glorificado. A parcela da população tem razão de mostrar a apreciação a esse famoso financeiro, que construiu sua fortuna por suas especulações sobre a troca.

Em 11 anos de existência do Quirguistão, a Fundação Soros investiu mais de US $ 80 milhões para financiar instituições de ensino, meios de comunicação e ONGs que trabalham no campo da política, educação, cultura e saúde. O dinheiro de Soros ajudaram dezenas de estudantes a beneficiar de uma boa educação na República direção ou do exterior.

Durante a sua visita de dois dias, Soros visitou a Universidade Americana da Ásia Central, da qual ele está dando, e se reuniu com os alunos.

Os críticos acreditam, no entanto, que essas atividades lideradas por Soros, especialmente o seu Open Society, assumir uma interferência ativa nos processos políticos de vários países. O bilionário é conhecido, entre outras coisas, pelo seu apoio, inclusive financeiro, para as "revoluções coloridas" que introduziram regimes pró-ocidentais em vários países, incluindo a Ucrânia e Geórgia, e por suas críticas da Rússia. Em um artigo recente, ele escreveu que o último desafia "a própria existência da Europa".

A visita de Soros ao Quirguistão provocou numerosos rumores. Alguns especialistas afirmam que ele tinha contribuído dinheiro para financiar ONGs locais para organizar uma nova "revolução colorida" no país para evitar a sua entrada na União Aduaneira (formada por Rússia, Belarus e Cazaquistão). Aqueles que exercem essa teoria apontam que Soros estava no país há dez anos, pouco antes da derrubada do então presidente Askar Akayev para um protesto.

Os opositores da Soros organizou uma manifestação em frente à embaixada dos Estados Unidos, enquanto ele estava entrevistando figuras públicas, altos funcionários e alunos. Os manifestantes às ONGs no país a rejeitar o "dinheiro de sangue" Soros e carregavam cartazes com os dizeres "Ovos de Ouro Soros: a guerra, a anarquia e da morte" e "Rússia Quirguistão + = União Aduaneira ".

Fonte: Jornal
 Al Manar 

SP / Famílias ocupam por moradia e contra cortes nas verbas sociais

IMG_8599Mais de 400 famílias organizadas no Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas – MLB da região do ABC paulista ocuparam um terreno vazio na cidade de São Bernardo do Campo na madrugada deste dia 29 de novembro. Além de lutar por moradia, as famílias denunciam os cortes do orçamento  das áreas sociais previstos para o próximo ano.
O terreno, que fica próximo à avenida dos imigrantes e é localizado na esquina da Estrada Samuel Aizemberg e da Estrada Fukutaro Yida, estava há anos abandonado, servindo para a especulação imobiliária e de local de desova de cadáveres, aumentando a insegurança na região.
Com o grande aumento do preço dos aluguéis nos últimos anos em toda a região metropolitana de São Paulo, a única maneira que sobrou para conseguir um teto para morar é lutando contra a especulação imobiliária e defendendo uma profunda reforma urbana que de fato garanta o direito à cidade para quem precisa.
Um dos supostos donos do terreno apareceu nas primeiras horas da manhã no local, afirmando que pretendia alugar o terreno para instalação de um estacionamento nos quase 90 mil metros quadrados disponíveis no imóvel.
As famílias trabalharam durante toda a madruga e manhã na construção dos barracos, construíram a cozinha coletiva e agora preparam as condições para a construção de um creche, que acolha de uma maneira mais apropriada as crianças.
Na assembléia, as famílias aprovaram o nome do revolucionário Devanir José de Carvalho, metalúrgico da região do ABC, perseguido e assassinado pela ditadura militar, para nomear o novo conjunto habitacional em gestação.
IMG_8614
A ocupação precisa da ajuda de todos que se solidarizam com a luta pela reforma urbana e a coordenação do movimento solicita  as seguintes formas de apoio:
Visite a ocupação nestes sábado e domingo. De ônibus, pegar o “7N” na rodoviária de São Bernardo do Campo e descer em frente a Só Gelo.
Divulgue nas redes sociais. Compartilhe as notícias da ocupação. Divulgue em sites, blogues e outros meios.
Leve doações de Água Mineral, Brinquedos, Alimentos e Cobertores, nessa ordem. 
Da Redação, São Paulo

jornal 
A Verdade

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Perito alemão confirma que Boeing malaio teria sido abatido por um caça ucraniano

Documento

Perito alemão confirma que Boeing malaio teria sido abatido por um caça ucraniano


28.Nov.14 :: Outros autores


Há dias, o Conselho de Segurança da Holanda terminou a colecta de fragmentos do Boeing da Malaysia Airlines, que caiu em Julho no leste da Ucrânia. A investigação das causas da catástrofe ainda continua, mas muitos peritos já referem a versão unicamente possível.
Em entrevista à agência de notícias Rossiya Segodnya, o antigo piloto da Lufthansa, Peter Haisenko, analisou diferentes versões da queda da aeronave na Ucrânia, chegando à seguinte conclusão:
– Estudei fotos do Boeing da Malaysia Airlines que caiu e tirei a única conclusão: esse avião não foi abatido por um míssil terra-ar, ou seja lançado por um sistema Buk. Essa variante deve ser absolutamente excluída. Em particular, as fotos da zona da carlinga provam que o aparelho foi atacado por um caça. A minha conclusão está apoiada por peritos do antigo exército da Alemanha Oriental, que conhecem o sistema Buk. Eles afirmam que o avião não podia ser destruído com esse sistema. As fotos fixam sinais do ataque directo de um avião militar.
– E porquê militar? Não há outras possibilidades de abater um avião?
– Há, com certeza, mas não com um míssil da classe terra-ar. Um míssil desta classe rebenta em estilhaços que, voando a uma velocidade muito alta que supera em 26 vezes a do som, atravessam o alvo como uma peneira. Tal significa que em corpos de vítimas, que já foram investigadas, deveriam ser encontrados estilhaços desse míssil Buk, porque esses fragmentos trespassam todo o avião, cravam-se e ficam presos nos corpos das pessoas a bordo. Mas não foi encontrado nada disso.
– Significa que as acusações contra a Rússia são desmentidas?
– As acusações contra a Rússia foram mal-alinhavadas desde o início contrariamente aos factos fidedignos. Todos os peritos que investigavam a catástrofe, inclusive da comissão holandesa, conhecem que não foi um míssil Buk, conhecem que a aeronave foi abatida por um caça. Isso é evidente.
– Fragmentos do avião que caiu chegarão em breve à Holanda. Será possível reconstituir ao certo o incidente passado tanto tempo levando em consideração o facto de o território ter sido submetido ao fogo de artilharia do exército ucraniano?
– Por enquanto não houve uma investigação normal. O facto de os fragmentos do avião estarem tanto tempo abandonados é uma incúria que deve ser castigada. Ao mesmo tempo, aquele que responde pela catástrofe tentou impedir a investigação. Por outro lado, aquilo que restou e foi reunido pode ser investigado, ajudando a estabelecer algo. Será possível excluir com certeza que não se trata de um Buk. Pelos sinais de desgaste de metal nos furos na zona da carlinga será possível definir o tipo de projécteis com que foi atacado o avião. Deste modo, resta apenas uma variante – o Boeing foi abatido por um caça.
– Qual, a seu ver, foi a razão pela qual os EUA e a OTAN não publicaram até hoje fotos tiradas por seus satélites de reconhecimento?
– Não posso responder em nome dos EUA e da OTAN. Mas podemos tirar certas conclusões que digam respeito a esse incidente. Podemos ou até devemos simplesmente considerar que se os EUA e a OTAN dispusessem de fotografias que provassem sua versão, há muito teriam publicado essas fotos. Em outras palavras, não há dados que confirmem a sua versão.
http://www.patrialatina.com.br/editorias.php?idprog=25989f1da5598dd89e7134affeca8697&cod=14693

ODiario.info

Hipocresía a la americana: Washington condena ataques sirios contra el EI

Hipocresía a la americana: Washington condena ataques sirios contra el EI
Diana Rojas  

El pasado jueves, la portavoz del Departamento de Estado, Jen Psaki, emitió una declaración de prensa en la que condenaba los ataques de la Fuerza Aérea siria contra sitios del EI en Raqqa. Ella condenó “la continua muerte de civiles” y “el desprecio hacia la vida humana” en estas operaciones llevadas a cabo por la aviación siria.

Siria desmintió tales acusaciones estadounidenses, afirmando que estaban basadas en la propaganda publicada por los sitios de los grupos terroristas en Internet que hablan de “unos cincuenta civiles muertos” además de varias decenas de miembros del EI. El ministro de Información sirio, Omran al Zubi, afirmó el jueves que la declaración del Departamento de Estado de EEUU condenatoria de los bombardeos llevados a cabo por la aviación siria contra objetivos del EI en Raqqa ignoró deliberadamente los actos de la organización terrorista en Siria, incluyendo asesinatos, secuestros, saqueos y violaciones.

“Se trata de un intento del Departamento de Estado de EEUU de empujar al mundo a ignorar los crímenes terroristas mediante acusaciones incorrectas contra el Estado Sirio en interés de esas organizaciones terroristas”, dijo Al Zubi en un comentario.

Él añadió que sería más adecuado que el Departamento de Estado de EEUU respetara la memoria de las víctimas estadounidenses a manos del EI y no fabricara directas acusaciones contra el Estado Sirio que se ha opuesto al terrorismo desde hace años mientras que otros estados estaban directamente implicados en el apoyo a los terroristas”. “El Estado Sirio está más comprometido con su pueblo que aquellos que envían armas y dinero y entrenan a terroristas en varios países”, dijo Al Zubi en referencia a EEUU y sus aliados regionales.

El ministro afirmó que el Estado Sirio no ataca a civiles y no lo hará y dijo que el objetivo de la declaración del Departamento de Estado era engañar a la opinión pública utilizando para ello fuentes de organizaciones terroristas como el EI y el Frente al Nusra.

La declaración del Departamento de EEUU supone, sin duda, una muestra de brutal hipocresía. Washington ha apoyado durante más de tres años a grupos terroristas en Siria culpables de horribles crímenes contra la población civil, y en especial contra las minorías religiosas, las mujeres y otros colectivos. El objetivo de esta política era, y continúa siendo, el derrocamiento del gobierno legítimo del presidente Bashar al Assad en Siria. En este sentido, la declaración de Psaki afirma, una vez más, que “Assad ha perdido desde hace mucho su legitimidad para gobernar”.

Cabe señalar que las fuentes utilizadas por el Departamento de Estado para su declaración han sido los propios sitios web del EI, considerados como fuentes indignas en lo que se refiere a todo lo demás, y el opositor Observatorio Sirio de los Derechos Humanos, con sede en Londres, cuyas declaraciones son repetidas de forma acrítica por las agencias y medios occidentales. Ambos son adversarios políticos del gobierno sirio.

El Pentágono rechaza de forma rutinaria cualquier crítica hacia las miles de muertes de civiles, incluyendo mujeres y niños, causadas por sus ataques aéreos y con drones en Siria, Iraq, Yemen, Afganistán, Pakistán y otros lugares. Su “guerra contra el terrorismo” es llevada a cabo con una completa indiferencia hacia la vida de los civiles.

Poco antes de la declaración de Psaki, el propio Observatorio Sirio de Derechos Humanos publicó cifras que indican que al menos 52 civiles, incluyendo 8 niños y 5 mujeres, murieron en ataques aéreos de las fuerzas de la coalición liderada por EEUU en Siria. Dada la afinidad política de la organización con las políticas estadounidenses es probable que esta cifra sea, en realidad, bastante mayor. No es sorprendente que el Departamento de Estado no haya expresado ningún “horror” por estas cifras.

El Wall Street Journal informó el martes que aviones estadounidenses bombardearon Raqqa el pasado lunes y “no está claro si llevaron a cabo ataques aéreos el martes también. La escala de las bajas y cuantas de ellas eran civiles no está tampoco clara”. De este modo, no es posible saber cuantos de los muertos civiles en Raqqa fueron causados por la aviación siria y cuantos por la norteamericana. El Wall Street Journal indicó también que era “muy difícil distinguir a los residentes de Raqqa de los extremistas” dado que estos últimos se mezclan con la población civil y no llevan uniformes militares.
Source: Periódicos  (Al Manar)
28-11-2014 - 16:34  

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Olho de Sauron "fornece uma nova maneira de medir distâncias até as galáxias


n4151

Uma equipe de cientistas liderada por Sebastian Hoeing, da Universidade de Southampton na Inglaterra, mediu com precisão a distância para a galáxia próxima NGC 4151, usando o Interferômetro do Observatório W. M. Keck. A equipe empregou uma nova técnica que eles desenvolveram que permite que eles possam medir distâncias precisas a galáxias localizadas a dezenas de milhões de anos-luz de distância. A nova técnica é similar àquela usada para medir o tamanho físico e angular, ou aparente, de um objeto distante, para calcular a sua distância da Terra. Distâncias previamente reportadas para a NGC 4151, que contém um buraco negro supermassivo, variavam de 4 a 29 megaparsecs (13 a 94.5 milhões de anos-luz), mas usando essa nova técnica, mais precise, os pesquisadores calcularam a distância até o buraco negro supermassivo, com precisão, como sendo de 19 megaparsecs (62 milhões de anos-luz).

A galáxia NGC 4151 é chamada de Olho de Sauron, pelos astrônomos, devido à sua similaridade com o Olho de Sauron do filme da trilogia Senhor dos Anéis. Como na famosa saga, o anel tem um papel crucial nessa nova medida. Todas as grandes galáxias no universo abrigam um buraco negro supermassivo em seu centro, e em cerca de 10% de todas as galáxias, esses buracos negros supermassivos estão crescendo engolindo uma grande quantidade de gás e poeira do ambiente ao redor. Nesse processo, o material é aquecido e torna-se muito brilhante – tornando-se as fontes mais energéticas de emissão no universo conhecidos como Núcleo Galáctico Ativo, ou AGN.

Essa poeira quente forma um anel ao redor do buraco negro supermassivo e emite radiação infravermelha, que os pesquisadores usam como régua. Contudo, o tamanho aparente do anel do Olho de Sauron é muito pequeno, as observações são realizadas usando o Interferômetro do Keck, que combina os telescópios gêmeos de 10 metros do Observatório Keck – os maiores telescópios na Terra – para alcançar o poder de resolução de um telescópio de 85 metros. Para medir o tamanho físico do anel empoeirado, os pesquisadores mediram o intervalo de tempo entre a emissão da luz próxima do buraco negro e da emissão de infravermelho mais distante. A distância do centro para a poeira quente é simplesmente o intervalo de tempo dividido pela velocidade da luz. Combinando o tamanho físico do anel de poeira com o tamanho aparente medido com o interferômetro do Keck, os pesquisadores foram capazes de determinar a distância precisa até a NGC 4151.

“Uma das principais descobertas é que a distância determinada dessa nova maneira é bem precise – com 90 por cento de precisão”, disse Hoening. “De fato, esse método, baseado em princípios geométricos simples, nos dá as distâncias mais precisas para as galáxias remotas. Além disso, ele pode ser prontamente usado em muito mais fontes do que os métodos atuais. Essas distâncias são fundamentais para se poder estimar os parâmetros cosmológicos que caracterizam o nosso universo ou em medidas precisas das massas dos buracos negros. Nossa nova técnica de medir as distâncias, implica que essas massas podem ter sido sistematicamente subestimadas em 40%”.

Hoening, juntamente com seus colegas na Dinamarca e no Japão, está atualmente ajustando um novo programa para estender o trabalho para muito mais AGNs. O objetivo é estabelecer as distâncias precisas para dezenas de galáxias usando essa técnica e usá-las para restringir os parâmetros cosmológicos dentro de uma pequena porcentagem. Combinada com outras medidas, essa nova técnica fornece um entendimento melhor sobre a história de expansão do universo.

Fonte: 
http://www.astronomy.com/

Canyon Communications recebe US $ 1,4 milhão do governo dos EUA para gerar conteúdo audiovisual contra Cuba

Canyon Communications recebe US $ 1,4 milhão do governo dos EUA para gerar conteúdo audiovisual contra Cuba

Neste artigo: Cyberwar , Cuba , Package , Estados Unidos , Radio Martí , Subversion , TV Martí
27 nov 2014 + | 
Canyon CommunicationsO governo dos EUA concedeu um contrato no valor de US $ 1,4 milhões para uma empresa que irá produzir "programas de TV e rádio projetado especificamente para o público em Cuba", relata o jornalista Tracey Eaton hoje em seu blog Ao longo do Malecon .
O contrato recebeu Canyon Communications, fundada por Jeff Kline .O Office of Cuba Broadcasting (Office of Cuba Broadcasting), o governo dos EUA concedeu um contrato sem licitação porque Canyon Comunicações foi o único qualificado para o trabalho, como ele explicou em uma nota que a Eaton oferece:
Com base nas necessidades do Escritório de Cuba Broadcasting (OCB), Canyon Communications é a única fonte conhecida com demonstrada para produzir programação projetada especificamente para a capacidade pública cubana. De acordo com o avaliador do governo, o contratante é unicamente qualificada para oferecer essa programação por causa de sua vasta experiência nesta área, incluindo o desempenho de sucesso no âmbito de um contrato OCB ano passado, que foi elogiado por força uma avaliação não solicitado pelo contratante.
Kline é um contratado do governo de longa data que já trabalhou para o Departamento de Saúde e Serviços Humanos, Departamento de Trabalho e de outras agências. Ultimamente, ele tem vindo a fazer projetos para o Conselho de Governadores de Radiodifusão, ou BBG, que supervisiona o Escritório de Transmissões para Cuba, incluindo a Rádio e TV Marti em Miami.
Em outubro, a Eaton escreveu sobre um concurso de programação de rádio Kline introduzido em Cuba sem participantes que foi financiado pelo governo dos EUA de aviso. O concurso foi abortado e ninguém foi distinguida com os prémios depois que as autoridades cubanas prenderam o contratante Alan Gross em dezembro de 2009. (Veja " Contribuinte Concurso Aborted ").
Kline viajou para Cuba para testar telefones celulares e outros dispositivos sem fio a um empreiteiro do Departamento de Estado. (Veja " The Other Alan Gross »). Além disso, em fevereiro de 2014, ao longo do Malecón publicou o contrato assinado por Kline para produzir auto-ajuda vídeos Cuba. (Consulte " O incrível desaparecendo $ 450000 Contrato ").
A empresa Kline, Canyon Communications, assinou o contrato para a 1450063 $ BBG em 30 de setembro de 2014. Sua empresa ganhou um total de 1799503 dólar em contratos com o BBG desde 2013.
Leia o artigo completo por Tracey Eaton:  Canyon Communications Cuba senões grande contrato
(From The Ao longo do Malecon . Versão CubaDebate )

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Em megaoperação, policiais espancam e atiram balas de borracha contra Pataxós

 
Em ação truculenta para cumprir mandado de reintegração de posse na Aldeia Boca da Mata, na Bahia, a Polícia Federal com apoio da Polícia Militar e Civil do estado, atirou balas de borracha e bombas de gás contra os indígenas Pataxó. Segundo relatos, os policiais não pouparam nem crianças e nem mulheres, hoje, 26 de novembro, por volta de 5h da manhã. 

(Fonte: Cimi)
Uriba Pataxó informou que há muitos indígenas nas matas fugindo do ataque da Polícia. O representante da Funai na região, Tiago de Paula, estava na área e, segundo indígenas, também foi agredido. “Bateram em nossos parentes, nossas crianças e mulheres. Tem índio que ainda tá perdido no mato. Chegaram botando terror. São mais de 30 viaturas que estão no território, PF, Polícia Civil e Polícia Caema. Então é muita policia, já chegaram espancando os índios, estamos preocupados com nossos parentes que ainda estão perdidos no mato”, lamenta Antônio José Pataxó, que vive na Aldeia Guaxuma, outra área de retomada distante 11 km de Barra Velha, local onde aconteceu a barbárie.
A Polícia pretende cumprir todas as liminares favoráveis aos fazendeiros. As lideranças indígenas ainda não informaram data, mas vão se articular para ver o que fazer diante dessa situação. Devido à morosidade do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, em assinar as Portarias Declaratórias, os fazendeiros estão entrando com liminares reivindicando as terras ancestrais dos indígenas. Deixando-os vulneráveis e expostos a ataques, um contexto de violência.
São 13 portarias declaratórias de terras em todo o Brasil que estão na mesa do ministro só a espera da assinatura. Nos últimos quatro anos, foram três audiências que os indígenas tiveram com o ministro da Justiça, inclusive a última, no dia 20 de outubro deste ano, a audiência foi em uma das áreas de retomadas dos indígenas. Onde estavam presentes o Ministério Público Federal, a Funai e o Ministério da Justiça. Na reunião, ficou acertado que não haveria ação policial contra os Pataxós, acordo violado com essa operação violenta.
A Terra Indígena Barra Velha do Monte Pascoal, situada nos municípios de Porto Seguro, Prado, Itamaraju, região do extremo sul da Bahia, é área tradicionalmente ocupada pelos Pataxós, conforme vários relatos históricos desde de 1.500, e tem o território delimitado e homologado conforme processo Funai com 8.627 hectares.
Em desacordo com a reivindicação da comunidade indígena, a terra indígena foi demarcada em 1981 e declarada como posse permanente da comunidade por meio da Portaria de nº 1.393, em 1982. 
Área que é insuficiente para uma população de mais de 5 mil indígenas espalhados em cerca de 17 aldeias. Com a revisão de limites, essa área passa para 52.748 hectares, sendo que desse total  22.500 pertencem ao Parque Nacional do Monte Pascoal sobreposto a Terra Indígena, criado em 29 de novembro de 1961.Na década de 1970 a área foi reduzida, os indígenas ocupam atualmente os 8 mil hectares, mas reivindicam os 52 mil, incluindo área do Parque Monte Pascoal, que mesmo com estudos que comprovam a ancestralidade indígena do território, a área não é totalmente ocupada por eles.
Devido a demora do governo na regularização territorial, em abril de 2014 as lideranças e membros de várias comunidades indígenas deram início ao processo de retomadas em fazendas que estão dentro da área delimitada pela Funai, totalizando cerca de 27 propriedades, para pressionar o Ministério da Justiça a expedir Portaria Declaratória. Atualmente existem cerca de 13 interditos proibitórios, 12 mandados de reintegrações e manutenção de posse na Justiça Federal de Eunápolis e Teixeira de Freitas, aguardando cumprimento pela Polícia Federal.

 CPT